Hidroxocobalamina no tratamento de intoxicações por cianeto

Por: Jaqueline Fernanda Weber
19 de fevereiro de 2018

O QUE É A CONDIÇÃO: INTOXICAÇÃO POR CIANETO

O cianeto é uma substância química extremamente tóxica. A intoxicação ou envenenamento por cianeto pode ser considerado um evento raro, porém potencialmente grave em algumas situações. A principal maneira de entrar em contato com o cianeto é por meio da inalação de fumaça de incêndios em ambiente fechados, como residências, por exemplo. A inalação de cianeto produz sintomas em poucos segundos e pode levar à morte por parada respiratória em minutos. Os sinais e sintomas dos casos leves incluem dor de cabeça, enjoo, tontura, ansiedade, respiração acelerada e pressão alta.

Os casos moderados podem apresentar falta de ar, redução ou alteração dos batimentos cardíacos e da pressão arterial e alteração leve do nível de consciência. Nos casos graves, as manifestações incluem coma profundo, pupilas fixas e não reativas, parada cardíaca, parada respiratória, infarto e acúmulo de líquido nos pulmões. A cianose (coloração azul-arroxeada da pele) é muitas vezes um sinal tardio de intoxicação por cianeto, mas pode não ocorrer, mesmo em pacientes com quadro grave. Sem tratamento, são grandes as chances de morte das pessoas intoxicadas gravemente.

 

COMO É O TRATAMENTO: PACIENTES INTOXICADOS POR CIANETO

Seu tratamento é orientado por meio de contato com os Centros de Informação e Assistência Toxicológica –CIATox, um serviço gratuito, público, mantido com escalas de plantonistas dispostos a orientar o atendimento às vítimas dos variados acidentes com agentes tóxicos.

Nos casos de intoxicação por cianeto, além das medidas clínicas comuns, como a administração de oxigênio, deve ser feito o uso de antídotos (agentes contra venenos). A hidroxocobalamina é apontada como um antídoto de primeira escolha por seu bom perfil de riscos e benefícios.

A hidroxocobalamina é um medicamento injetável que, apresenta-se como um agente potencialmente efetivo e seguro no tratamento de intoxicações por cianeto, sobretudo, nos casos de inalação de fumaça de incêndios em ambientes fechados. Todavia, outros fatores, como as dificuldades para a sua adequada disponibilização para o uso antes mesmo da entrada das pessoas intoxicadas no hospital (uso pré-hospitalar), devem ser considerados na elaboração de recomendações sobre seu uso.

 

MEDICAMENTO ANALISADO: HIDROXOCOBALAMINA

Com base no relatório de recomendação da Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no SUS (CONITEC), o Secretário de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde, no uso de suas atribuições legais, decidiu incluir o Cloridrato de hidroxocobalamina na concentração de 5 g injetável no tratamento de intoxicações por cianeto no âmbito do SUS.

O relatório técnico completo de recomendação da CONITEC está disponível em:

© 2021 ABRACIT • Desenvolvimento: Untura
Área de Edição